A Editora Lamparina, a REAGRI (Rede de Pesquisa sobre Regiões Agrícolas) e o NUCLAMB (Núcleo de Estudos Geoambientais) convidam para o lançamento do livro “Espaço Geográfico e Competitividade: regionalização do setor sucroenergético no Brasil” constitui uma pequena mostra de que as universidades públicas estão, sim, sendo eficientes.

No evento haverá uma mesa redonda com participação dos geógrafos:
Júlia Adão Bernardes (UFRJ)
Mateus de Almeida Prado Sampaio (Unesp-Presidente Prudente)
Ricardo Castillo (Unicamp)
Roberta Carvalho Arruzzo (UFRRJ)
William Ferreira da Silva (UFG/Jataí)

Teremos no término coquetel e a participação da roda do Chorinho da Conceição.

O livro estará à venda.

Será concedido certificado de presença às pessoas que solicitarem.

Sexta-feira, 17 de maio, às 17hs no Colégio Brasileiro de Altos Estudos (CBAE) Av. Rui Barbosa, 762, salão 3, térreo – Flamengo.

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/796948030705078/

Sobre o livro:
Algumas das mais significativas transformações no uso do território brasileiro provocadas pela dinâmica recente do setor sucroenergético são identificadas, analisadas e interpretadas neste livro, à luz de uma teoria regional pautada na divisão territorial do trabalho e na competitividade geográfica.

Os capítulos, organizados de maneira a apresentar uma proposta teórico-metodológica e discutir o processo de regionalização e as principais regiões produtivas do agronegócio canavieiro no atual período histórico, oferecem importantes insumos para compreender os processos de fragmentação do território, reprimarização da pauta exportadora e neoliberalização da economia brasileira, permitindo presumir que sua leitura seja do interesse de geógrafos, economistas, sociólogos, historiadores, planejadores regionais e de todos aqueles que clamam projeto político mais inclusivo, socialmente mais justo, sobretudo no contexto atual, marcado pela instabilidade e pela ameaça ao estado democrático de direito.

A oportunidade de produzir este livro foi proporcionada pelo projeto “Redes de poder e regiões competitivas agrícolas no setor sucroenergético brasileiro”, financiado pela FAPERJ, à qual agradecemos. É importante ressaltar que a investigação envolveu pesquisadores estudiosos do tema de várias universidades do país e seus orientandos, que fazem parte da REAGRI, cuja preocupação fundamental é compreender a nova regionalização que emerge no território brasileiro e em outras formações socioespaciais da periferia do capitalismo, a partir da especialização regional da agropecuária e suas implicações sociais e econômicas.

Banner de Divulgação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *